i
11 9 9174 8290
mauriciobastos@espacointegracao.com.br
pt Portuguese
pt Portuguese

Síndrome do ImpostorEnganando os outros ou se auto enganando?

Se você sente que em determinadas situações aquilo que você expressa não é bom o suficiente e não chegará a excelentes resultados, pode ser que você tenha a chamada síndrome do impostor. É um estado psicológico que descreve um padrão de comportamento no qual você duvida de suas capacidades e tem um medo persistente de ser exposto como uma fraude, como um(a) incompetente. 

É proveniente, muitas vezes, do alto nível de cobrança exigida por parte dos pais em nossa infância. É muito comum esta síndrome em pessoas que tem profissões competitivas como atletas, artistas, profissionais do mundo corporativo ou pessoas que são avaliadas o tempo todo, como também é bem relevante nas áreas da saúde, política e ensino.  

A exigência de um desempenho perfeito é um dos gatilhos principais. Costuma atingir sempre as pessoas mais inseguras e sensíveis e que internalizam críticas e falhas. 

Síndrome do ImpostorPerguntinha: quando você recebe um elogio sobre uma tarefa bem executada, de que forma você responde a situação? 

Recebe e acolhe o elogio se sentindo merecedor(a), ou o oposto, não recebe e não aceita o elogio e pensa que outras pessoas poderiam fazer bem melhor do que você. Se, caso escolheu esta segunda opção, e ela é recorrente em sua vida, então é bem provável que você tenha a experiência da síndrome do impostor. 

A falta de autoconfiança, falsa autoimagem, desconexão com a inteligência emocional e de autoconhecimento são as causas primordiais desta síndrome. Geralmente, a pessoa que está lidando com esta questão tende a chamar o sucesso de sorte ou apenas de um bom momento, acreditando que as outras pessoas sempre são melhores, mais inteligentes ou mais competentes do que ela. 

O grau de exigência de performances e resultados idealísticos contribuem para gerar o medo de errar e falhar, juntamente com a crença limitante da incapacidade e impotência, que evidencia a síndrome do impostor. 

A síndrome pode alcançar qualquer um, independentemente da função profissional ou da experiência já vivida. E, na maioria das vezes, é um grande mecanismo de autossabotagem que impede a autorrealização. 

Observe suas crenças limitantes e perceba se você vive e desempenha momentos de “impostor” em sua vida e como você se sente e se relaciona diante desta postura. 

Como identificar se você tem a síndrome do impostor?

  • As pessoas com síndrome do impostor normalmente são perfeccionistas e, por isso, têm dificuldades em lidar com pressões, cobranças e críticas. Elas têm um enorme medo do fracasso e constantemente sabotam as suas próprias conquistas. Isso pode ser debilitante, causar estresse, ansiedade e vergonha, bem como uma potência para a baixa autoestima.  
  • Por exemplo, sua mente inventa uma “cena” em que, durante uma importante reunião decisiva, seu diretor entrará a qualquer momento na sala, tocará em você e lhe dirá que não está realmente qualificado(a) para o cargo (mesmo que seja a pessoa mais experiente na sala); 
  • Você está prestes a fazer uma apresentação e, secretamente, acha que todos vão perceber o seu nervosismo e desespero por ter que realizá-la; 
  • Finalmente, chegou a sonhada promoção que você conquistou e a sua narrativa interna sabotadora diz que eles devem ter poucos candidatos, ou que você realmente não merece a promoção. Você está convencido(a) de que não vai corresponder às expectativas; 

Quais são os principais sintomas da síndrome do impostor?

  • Ansiedade; 
  • Perda do foco/atenção no que realmente importa; 
  • Vitimismo (se sentindo incapaz);  
  • Tendência a autossabotagem;
  • Medo de não estar correspondendo às expectativas do outro; 
  • Total insegurança ao ser pressionado (a) por entrega de tarefas e prazos; 
  • Sensação de não-pertencimento e inadequação;
  • Não gostar de receber opiniões sobre o trabalho; 
  • Perfeccionismo extremo; 
  • Falsidade para agradar; 
  • Abuso de carisma; 
  • Medo de errar e ser criticado(a); 
  • Medo do fracasso; 
  • Se desqualificar perante os elogios; 
  • Crença de incompetência;  
  • Crença de que não tem sorte ou que tal situação sempre acontece; 
  • Crença do não merecimento; 
  • Autocritica em excesso; 
  • Procrastinação.

Síndrome do ImpostorPerfis mais comuns de impostor

  • Impostor(a) expert – aquele que tem que saber de tudo; 
  • Impostor(a) solo – não precisa e não aceita ajuda de ninguém; 
  • Impostor(a) gênio – o que tem habilidade em tarefas pouco comuns; 
  • Impostor(a) super-homem/mulher- precisa ser excelente em tudo; 
  • Impostor(a) perfeccionista – nada está bom, sempre faltando algo.

Para minimizar a síndrome:

Identifique suas preferências pessoais

  • O que te motiva e desmotiva no trabalho? 
  • O que você está disposto a tolerar e o que não é aceitável?  
  • Decida o que você vai fazer para mudar o que pode ser mudado à sua volta.

Realize uma reavaliação de valores

  • O quanto seus valores combinam com o ambiente em que você está? 
  • Você acredita e confia no que você atua? 
  • O seu propósito está alinhado ao seu trabalho? 
  • Você está cercado por profissionais que te inspiram?

Reconheça suas conquistas

  • Valorize seu caminhar, sua história e seus resultados, mesmo que ainda intangíveis;
  • Desenvolva o autoconhecimento e a autoconfiança;
  • Você é o autor de sua vida, reveja seus propósitos.

Cuide-se!

Durma bem, alimente-se de forma saudável, cultive hobbies, se divirta e cuide da sua saúde física, mental, emocional e espiritual por meio de atividades físicas, lúdicas, artísticas e de autoconhecimento. Além disso, é primordial encontrar um tempo para a meditação e relaxamento, desenvolvendo um contato mais profundo consigo.  

Algumas atitudes que também podem ajudar:

  • Não se compare aos outros (mente comparativa); 
  • Se desidentifique com pensamentos do tipo ‘não sou bom o suficiente’;  
  • Expresse seus medos e crenças limitantes para um terapeuta ou amigo.  
  • Diminua a autocritica e o autojulgamento; 
  • Saia do ideal e viva o real; 
  • Busque o autoconhecimento 
  • Reforce pontos positivos, valores e talentos;  
  • Aceite a sua potência do jeito que ela é; 
  • Reconheça as suas conquistas; 
  • Mantenha sempre a atenção focada na autoestima e na autoconfiança.

Você não precisa ser otimista ou pessimista. Seja uma possibilidade e acredite em seu potencial.

 William Ury

Fontes:
https://www.michaelpage.com.br/advice/carreira-profissional/dicas-de-carreira/dicas-para-superar-temida-s%C3%ADndrome-do-impostor
https://www.conquistesuavida.com.br/noticia/ja-ouviu-falar-na-sindrome-do-impostor-descubra-se-voce-esta-se-autossabotando_a12016/1 
Espalhe amor

Add Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

8 − 8 =

Phone: 11 9 9174 8290